Pesquise
Buscar por ? Localizar
  Resultado da Pesquisa

India

...ca, bauxita, cromita, tório, calcário, baritina, minério de titânio, diamantes e óleo cru. Uso da terra:Terra arável: 48.83% Culturas permanentes: 2.8% Outros: 48.37% (2005) Grupos étnicos: Indo-arianos 72%, Drávidas 25%, Mongóis e outros 3%. Alfabetização: 59,5% total, sendo homens 70,2% e mulheres 48,3% (estimativa 2003) Divisões administrativas: 28 estados: Andhra Pradesh, Arunachal Pradesh, Assam, Bihar, Jharkhand, Goa, Gujarat, Haryana, Himachal Pradesh, Jammu and Kashmir, Karnataka, Kerala, Madhya Pradesh, Chhatisgarh, Maharaahtra, Manipur, Meghalaya, Mizoran, Nagaland, Orissa, Punjab, Rajasthan, Sikkin, Tamil Nadu, Tripura, Uttar Pradesh, Uttaranch...

Italia

Itália Área 301.230 km² Capital Rom

Mexico

México Área 1.972.550 Km² Capital C

Polonia

...ento da produção da indústria alcançou 11,7%, com a média da União Européia ao nível de 2,1%. Uma mudança muito importante nos últimos anos foi o rápido crescimento  das exportações de produtos industriais, aumentando também a participação de produtos de alta tecnologia. Atualmente os produtos industriais mais exportados são eletrodomésticos, produtos químicos e metalúrgicos.  Estrutura EconômicaAtualmente, a situação da economia polaca se caracteriza pela lentidão do seu crescimento, que se distancia muito  do ritmo de crescimento que tinha desde 1995, que registrava crescimento do PIB de 6.0%. A lentidão no crescimento da economia tem originado desemprego e um déficit público, que tem se transformado nas principais causas do desequilíbrio econômico do país, fazendo com que as prioridades das autoridades econômicas polonesas sejam a redução da inflação e a redução do déficit exterior. Setor primário Na Polônia a qualidade das terras agrícolas variam de média a baixa. A produtividade agrícola é quatro vezes mais baixa que os da união Européia. Isso se deve a qualidade do solo, clima e também ao uso de produtos agrícolas, como fertilizantes e produtos fitossanitários de qualidade inferior.  A demanda que é limitada tanto no mercado nacional quanto no exterior , tem um impacto crescente no volume de produção. Desde 1990 se há observado a queda sistemática da participação da agricultura, setor florestal e na caça no PIB, resultado da falta de crescimento da produção  enquanto outros setores estão em expansão. A esta queda real do valor da produção agrícola contribuem os preços que são pouco rentáveis. Recursos NaturaisAs riquezas naturais mais importantes na Polônia são: carvão, zinco, prata, chumbo, pedras para construção, petróleo, gás natural, enxofre. Entre as matérias primas ligadas a energia, os maiores depósitos são os de carvão. A extração anual de carvão alcança cerca de 100 milhões de toneladas. No final do ano de 2003 havia aproximadamente 4,8 bilhões de toneladas desta matéria prima. Menos abundantes são as reservas de gás natural, a produção nacional cobre cerca de 30% das necessidades do produto. Menores ainda são as reservas de petróleo; o abastecimento documentado são menores que a produção anual das refinarias polonesas. A produção de energia elétrica se  baseia no carvão. A sua principal vantagem é que se utiliza as matérias primas mais baratas que se encontram na Polônia. Houve crescimento do consumo do petróleo e do gás natural, mas como as mudanças são lentas, segundo a Agencia Internacional de Energia, a participação do carvão na produção de energia se manterá no mesmo nível (cerca de 96%) até o ano de 2020. Vale ressaltar a importância do cobre, que representa cerca de 3,3% da produção  mundial de cobre refinado. Investimentos As fontes mais importantes de capital para as empresas polonesas são os seus lucros  e os créditos bancários. Graças as taxas de inflação baixas que vem se mantendo e as taxas moderadas do Banco Central, os créditos são cada vez mais rentáveis. Ao mesmo tempo vem crescendo a importância de outras fontes de capitais para as empresas. Diante de tudo isso, a bolsa de valores tem se desenvolvido muito rapidamente. Nos últimos anos, a bolsa de valores polonesa foi uma das mais dinâmicas da Europa. Cabe ressaltar, que estão aparecendo cada vez mais sociedades estrangeiras na sua bolsa de valores. Além da bolsa de valores, uma fonte de capital muito popular na Polônia são os fundos de Venture Capital/ private equity. No ano de 2004, foram investidos na Polônia cerca de 130 milhões de Euros. A quantidade investida é muito menor do que as feita em países como Alemanha, França e Grã Bretanha, porém é muito significativa se comparada com outros fundos. Esses investimentos são muito importantes, já que possibilita às pequenas empresas privadas a desenvolverem mais rapidamente. Grande parte do dinheiro investido na Polônia pelos fundos  Venture Capital/ private equity estão nos setor tecnológico. Negócios InternacionaisApesar do perc...

Reino Unido

...o um pouco diferente, embora calcada nos mesmos princípios; é dividida em 32 circunscrições e a  “City” de Londres. Política / GovernoO sistema de governo do Reino Unido é definido como uma monarquia constitucional, onde a soberana, Rainha Elizabeth II, é a Chefe de Estado. Embora os ministros governantes ajam em nome da Coroa, quase todo o poder está a cargo do primeiro ministro como chefe do governo e do seu gabinete de ministros. O poder dentro do Reino Unido foi parcialmente devolvido a Escócia, País de Gales e a Irlanda do Norte. Diferentemente do País de Gales, da Escócia e da Irlanda do Norte, a Inglaterra não tem um ministro de governo ou um ministério exclusivamente responsável por sua administração central. Em vez disso, há vários ministérios do governo, cujas responsabilidades, em alguns casos, também cobrem aspectos de assuntos no País de Gales e na Escócia. Uma rede de dez Departamentos do Governo para as Regiões (Government Offices for the Regions – GOR) é responsável pela implementação de vários programas governamentais nas regiões inglesas. O sistema legal é baseado em precedentes legais e legislações do próprio Reino e de outras instituições européias supranacionais (não existe uma constituição escrita). ReligiãoAs principais religiões da população britânica são representadas pela Igreja Anglicana (religião oficial da Inglaterra) e Católica Romana, somando cerca de 40 milhões de pessoas. As outras representações religiosas se dividem entre os Muçulmanos, com 1,5 milhão de fiéis, os Presbiterianos, com 800.000, os Metodistas, 760.000, os Sik, 500.000, os Hindus, 500.000 e os Judeus, com 350.000. EducaçãoO Reino Unido tem um sistema educacional muito desenvolvido, onde a população maior de 15 anos possui um índice de 99% de alfabetização. A educação obrigatória começa aos 5 anos de idade na Inglaterra, País de Gales e Escócia e aos 4 anos na Irlanda do Norte; esse período obrigatório se encerra aos 16 anos de idade. Usualmente, aos 18 anos, os estudantes entram nas universidades e faculdades. O número de universidades e faculdades tem crescido nos países, totalizando cerca de 160 estabelecimentos de educação superior. Organizações e acordos internacionaisO Reino Unido é membro de 120 organizações internacionais, entre as quais incluem-se as Nações Unidas, o Commonwealth (uma associação de cinqüenta países independentes que surgiu do desmantelamento do Império Britânico a partir de 1945), a OTAN e os seguintes organismos e instituições econômicas ou financeiras internacionais:UE:União EuropéiaOCDE: Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento EconômicoOMC: Organização Mundial do ComércioFMI: Fundo Monetário InternacionalBIRD: Banco Internacional para a Reconstrução e o DesenvolvimentoCFI: Cooperação Financeira InternacionalAID: Associação Internacional de DesenvolvimentoFAO: Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a AgriculturaUNIDO: Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento IndustrialUNCTAD: Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento Composição setorialAgricultura: 1% Indústria: 25.6% Serviços: 73.4% (est.2006) CIA Força de trabalho / por ocupaçãoAgricultura: 1.4% Indústria: 18.2% Serviços: 80.4% (est.2006) CIA Sistema bancárioO Reino Unido possui um dos mais sofisticados e completos sistemas bancários do mundo, oferecendo ampla e completa gama de serviços, nos planos interno e externo. O Reino Unido reúne, na praça financeira londrina, o principal centro mundial de transações financeiras, ao concentrar o maior número de bancos em uma só cidade (mais de 550), e as maiores parcelas de mercados financeiros internacionais. A moeda britânica é a Libra Esterlina, internacionalmente expresso como GBP (Great Britain Pound). As notas de Libra vão de GBP 1 até GBP 100 cuja unidade se divide em 100 Pence (pennies); o uso de moedas é largamente difundido. A taxa de câmbio é livre, apenas observada pelo Bank of England. Embarques no BrasilAlguns dos documentos exigidos nos embarques para o Reino Unido são:- fatura comercial- conhecimento de embarque (Bill of Lading)- certificado de origem para o SGP (quando aplicável)- certificado sanitário ou fitosanitário (quando aplicável)- outros certificados (quando aplicáveis).O romaneio de embarque (Packing List) não é obrigatório, mas a sua apresentação facilita a liberação das mercadorias.A fatura comercial, o conhecimento de embarque, o certificado de origem (para os produtos importados sob o regime preferencial d...

Russia

...te e a população não-russa é calculada em 18%; sendo as minorias mais destacadas os tártaros (3,8%) e os ucranianos (3%). Desde o censo de 1989, o total da população russa sofreu  um largo declínio. A sua taxa de crescimento é negativa, aproximadamente –0,3%. As principais razões para a redução da população têm sido a baixa taxa de natalidade e o aumento da mortalidade principalmente entre os homens não instruídos e parcialmente instruídos. A elevação da taxa de criminalidade e a incidência elevada do consumo de álcool e tabaco entre homens conduziram ao aumento, sem precedentes, da mortalidade masculina em tempos de paz. O seu perfil demográfico tem implicações potencialmente negativas para o futuro econômico do país O rápido envelhecimento da força de trabalho pode vir a ser um obstáculo para a reforma, pois o aumento dos custos de aposentadoria e serviço de saúde irá limitar a habilidade do governo de aliviar a pressão dos impostos na economia. Fuso horárioO território da Rússia é dividido em 11 fusos horários. Considerando-se o horário de Brasília, as diferenças de fuso são as seguintes: Kaliningrad: cinco horas a mais; Moscou e São Petersburgo: seis horas a mais; Samara e Igevsk: sete horas a mais; Ekaterinburg e Perm: oito horas a mais; Hovosibirsk e Omsk: nove horas a mais; Krasnoyarsk e Tomsk: dez horas a mais; Irkutsk e Ulan-ude: onze horas a mais; Yakutsk e Chita: doze horas a mais; Vladivostok e Habarovsk: treze horas a mais; Magadan: quatorze horas a mais; Kamchatka e Anadir: quinze horas a mais. LínguaO idioma russo é uma língua indo-européia do ramo eslavo. É o idioma oficial na Rússia, Bielo-Rússia, Quirguistão e Cazaquistão e também falado em diversos países da ex-União Soviética. É um dos seis idiomas oficiais da ONU e o sétimo mais falado no mundo, em números de falantes nativos. O russo é escrito com uma versão moderna do alfabeto cirílico, contendo 33 letras. Estrutura político-administrativoA Federação da Rússia consiste em um grande número de subdivisões políticas diferentes, totalizando 89 componentes constituintes. Há 21 repúblicas dentro da federação que desfrutam de um alto grau de autonomia, além dos 6 territórios, 49 regiões administrativas, 1 região autônoma e 10 áreas autônomas. As cidades de Moscou e São Petersburgo têm “status” federal. Aspectos econômicosA Rússia é uma economia em transição, a política econômica para 2006 – 2007 está voltada a aumentar a qualidade dos quatro projetos nacionais prioritários que são: educação, habitação, agricultura e saúde. Composição setorialAgricultura: 5.3%Indústria: 36.6%Serviços: 58.2% (2006 est.) Força de trabalho / por ocupaçãoAgricultura: 10.8%Indústria: 29.1%Serviços: 60.1% (est.2005) ExportaçõesUS$31...

Uruguai

...pasteurizadoras  em 2004 alcançou 1.229 milhões de litros, dos quais 80% se destinam a indústria. Isto determina um incremento de 13.4% em relação ao ano anterior, marcando uma cifra recorde. Produção Vegetal A produção arrozeira possui um significado especial para o país. A área de plantação é de aproximadamente 187 mil hectares com um volume de produção de 1,262 milhões de toneladas, localizadas fundamentalmente na zona este do país. O setor florestal começou recentemente a transitar  na fase de industrialização da madeira de forma generalizada, com base no estoque disponível obtido dos bosques semeados nos últimos 15 anos. A plantação de bosques artificiais é uma das atividades que teve maior impulso durante  os últimos anos, ocupando no final de 2002, aproximadamente 620.000 hectares, uma superfície quase quatro vezes maior que a de 1990. Houve também um incremento na produção de soja, devido a importantes investimentos de produtores argentinos. ExportaçãoA expansão das exportações foi um dos pilares da reativação econômica do Uruguai nos últimos anos, porém a sua estrutura possui aspectos vulneráveis. O crescente importância da agroindústria nas exportações totais, assim como a perda de participação das exportações de outras manufaturas de origem industrial, são importantes motivos para preocupação.  A produção de bens da agroindústria (commodities) tem uma alta flutuação de preços nos mercados internacionais, que expõem o Uruguai a uma situação de maior vulnerabilidade. Por outro lado, a agroindústria  incorpora menor valor agregado  que as indústria pesadas.  A queda de participação de outras manufaturas  de origem industrial evidencia problemas estruturais da economia uruguaia que tem impedido um maior crescimento exportador. As possíveis causas  deste comportamento podem estar vinculados ao escasso  nível  tecnológico de muitos setores devido a falta de investimentos  nos últimos anos assim como  a falta de canais de comercialização. Dentro das atividades que tem aumentado sua participação  nas exportações totais pode-se mencionar o setor de carnes, a indústria láctea, a pesca, produtos de plástico e borracha. E as que tem perdido importância são as de vestimenta, indústrias produtoras de minerais não metálicos (porcelana, cimento, louça),  a indústria automotriz, a de máquinas e de aparelhos elétricos. Importações A estrutura importadora do Uruguai tem estado muito ligada  a estrutura de suas exportações. Há uma alta dependência de uma série de insumos para suas próprias manufaturas de exportação (como por exemplo, produtos químicos). Uma porcentagem importante de suas importações constituem os bens intermediários, principalmente abastecimento industrial. Logo em seguida vem os bens de consumo, principalmente alimentos e bebidas, e por último os bens de capital, que se constituem principalmente por máquinas e equipamentos de transporte. As importações de bens experimentaram em 2004 um sensível crescimento em relação ao ano anterior, em um contexto de reativação do nível de atividade e de aumento dos preços internacionais  (principalmente do petróleo). Se observou um importante crescimento das importações de bens de capital, reflexo das decisões de investimento, sustentadas pelas expectativas favoráveis dos empresários. As compras dos bens de consumo também cresceram  de forma importante, pela influência da recuperação dos gastos do setor privado, especialmente de bens duráveis. A importação de bens intermediários também aumentaram, devido a melhora da atividade industrial. Intercâmbio Brasil – UruguaiO Brasil e o Uruguai são economias que em muitos aspectos se complementam. O comércio bilateral reflete essa situação: o Brasil vende  ao  Uruguai  insumos  industriais,  maquinaria,  automóveis, equipamento de transporte e produtos tropicais e uma parte significativa das compras nesse país corresponde a produtos agro-industriais de clima temperado (arroz, carne bovina, laticínios, cevada, etc.). Desde 2004 a relação comercial entre o Brasil e Uruguai tem aumentado. Em 2005 o intercâmbio comercial entre Brasil e Uruguai foi de 853.137.754, passando para 1.012.597.766 em 2006 e em 2007 chegando a 1.288.439.665. Já as importações, feitas pelo Brasil, apesar da queda em 2005 voltou a crescer em 2006 e 2007. O Uruguai se encontra, segundo a CIA, em 104º lugar no ranking de exportadores mundiais e em 105º nas importações mundiais. Exportações Brasil - Uruguai Período US$ FOB Peso Líquido (kg) 2005 853.137.754 782.572.001 2006 1.012.597.766 1.025.253.309 2007 1.288.439.665 1.177.863.743 Fonte: Aliceweb   Importações Brasil - Uruguai Período US$ FOB Peso Líquido (kg) 2005 493.653.258 910.276.167 2006 618.224.941 1.090.238.177 2007 786.338.029 1.218.178.636 Fonte: Aliceweb   Balança Comercial Brasil - Uruguai/ 2007Valores em US$ FOB Mês Exportação Importação Saldo Corrente de Comércio JAN 100.235.606 56.187.036 44.048.570 156.422.642 FEV 68.866.287 38.222.626 30.643.661 107.088.913 MAR 106.794.334 62.096.572 44.697.762 168.890.906 ABR 112.393.436 55.733.941 56.659.495 168.127.377 MAI 106.295.611 68.942.428 37....

Alemanha

...o as feiras e exposições, com alcance nacional e internacional. A Alemanha é considerada a plataforma global de feiras e ocupa a liderança mundial, realizando aproximadamente dois terços das 150 principais feiras mundiais. Dentre  as  quatro maiores feiras do mundo em termos de área, três estão localizadas na Alemanha. Os Centros mais importantes de feiras e exposições são: Colônia, Düsseldorf, Frankfurt, Essen, Hanover, Munique,  Hamburgo, Stuttgart, Nurembergue e Berlim. ImportadoresAs firmas importadoras envolvidas no comércio de importação são geralmente especializadas em produtos e, raramente, em regiões econômicas ou  em determinados países. Em regra, elas conhecem bem o mercado, os mecanismos de negócio,  regulamentos  de  importação,  facilidades  de transporte e marketing e, por conseguinte, estão habilitadas a promover o acesso ao mercado alemão de fornecedores não familiarizados com as oportunidades e condições de venda na Alemanha. Recomendações às Empresas BrasileirasA seleção do melhor canal de distribuição na Alemanha para o exportador brasileiro não é em geral um processo rápido e está sujeita a uma série de fatores, como por exemplo: os requisitos individuais do exportador, o tipo do produto, a capacidade  de  produção,  o  consumidor-alvo,  o  nível  de  conhecimento do mercado e da cultura comercial local, a estratégia de exportação e marketing a ser desenvolvida e as opções  para  o  produto  existentes  dentro  da  estrutura  de comercialização local, entre outros. Aos exportadores brasileiros que planejam vender sistematicamente seus produtos no mercado alemão e não querem constituir  firma no país,  recomenda-se  cooperação com intermediários de negócios, entre outros,  agentes comerciais, agentes comissionados, representantes exclusivos, etc. Para alcançar sucesso nas vendas e estabelecer relacionamento comercial duradouro, o exportador deve atender às expectativas do mercado alemão, particularmente em termos de qualidade do produto, apresentação, preço, serviço e confiabilidade no fornecimento. Viagem de negóciosPara viagem de negócio à Alemanha, não há exigência de  visto  quando  o  período  de  permanência  for  inferior  a  3 meses. O país  dispõe de  excelente infraestrutura de meios de  transporte,  de  modo  que  os  deslocamentos    podem  ser feitos por automóvel, trem e avião. O clima é bastante frio no inverno e mesmo no fim do outono e início da primavera.  Quanto  a  hotéis,  dificuldade  para  reserva  só  se apresenta quando da realização de feiras e grandes eventos. O mercado local oferece uma série de instrumentos para promoção de produtos, entre outros a viagem de negócios com contatos  diretos  junto  aos  parceiros  comerciais,  participação em missões comerciais, rodadas de negócios, participação em mostras especializadas, em campanhas de promoção de produtos em lojas de departamentos e supermercados, remessa direta de folhetos e catálogos de produtos, anúncio e/ou divulgação  de  produtos  ou  setores  estratégicos  em  publicações especializadas e em sites especializados na Internet, etc. Como negociar com a Alemanha Os alemães costumam ser formais e reservados nos primeiros encontros, mostrando frialdade. O trato na primeira pessoas demora bastante tempo; Marque encontros com bastante antecipação com o gerente de nível mais alto possível Seja pontual; Prepare uma agenda para a reunião. Os alemães prestam, muita atenção à organização e ao planejamento e não gostam de coisas dúbias. O tom das negociações é formal; As propostas de negociação e apresentações devem ser concretas e realistas, lógicas e apresentadas de forma clara, organizada e com autoridade; Evite surpresas e métodos agressivos de vendas. Não solte uma proposta surpreendente em uma reunião formal; Participe das feiras de negócios na Alemanha e entre em contato com as câmaras de comércio. Ambas são instituições de prestígio.  Endereços e informações úteisEmbaixada da Alemanha em Brasília SES - Avenida das Nações, Qd. 807, lote 2570415-900 Brasília - DFCaixa Postal 030 - 70359-970Tel: (061) 442-7000Fax: (061) 443-7508E-mail: info.brasilia@alemanha.org.brSite: www.brasilia.diplo.de/pt/Startseite.htmlAtendimento ao públicoAssuntos jurídicos e consulares:De segunda a sexta, das 8:30h às 11:30h.Para outros assuntos, solicita-se agendar por telefone. Consulado Geral da República Federal da AlemanhaPorto AlegreProfessor Annes Dias, 112/11° andar90020-090 Porto Alegre - RSTel.: (051) 3224 9255/224 9592Fax: (051) 3226 4909E-mail: info@porto-alegre.diplo.de RecifeAntonio Lumack do Monte, 128, 16° andarBoa Viagem 51020-350 Recife - PETel.: (081) 3463-5350Fax: (081) 3465-4084E-mail: info.recife@alemanha.org.br Rio de JaneiroPresidente Carlos de Campos, 41722231-080 - Rio de Janeiro - RJTel.: (021) 2554 0004Fax: (021) 2553 0184E-mail: gkrioalemao@terra.com.br São PauloAv. Brigadeiro Faria Lima, 2092; 12º AndarJardim Paulistano01451-905 São Paulo - SPTel.: (011) 3097-6644Fax: (011) 3815-7538E-mail: info@sao-paulo.diplo.de Portal da Alemanhawww.deutschland.de Embaixada do Brasil em Berlimwww.brasilianische-botschaft.deSetor de Promoção Comercial da Embaixada do Brasil em BerlimWallstrasse 57 10179 - BerlimTelefone: 49 7 26 28-116Fax: 49 30-728628199E-mail: secom@brasemberlim.de Instituições alemãs no BrasilAlém da Embaixada, dos Consulados Gerais e dos Cônsules Honorários, existem no Brasil muitas instituições alemãs ou instituições ligadas à Alemanha cujo objetivo é o fomento das relações políticas, econômicas, culturais e sociais entre o Brasil e a Alemanha.Confira no link:www.brasilia.diplo.de/pt/veraenderung_20sites/Deutsche__Institutionen__in__Gastland.htmlAs Câmaras de Indústria e Comércio, as Fundações Políticas, as escolas alemãs- brasileiras, as instituições culturais e as instituições de cooperação existentes no Brasil.Câmaras de Indústria e Comércio no Brasilwww.ahkbrasil.com Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São PauloMatriz BrasilVerbo Divino, 1488, 3° andar04719-904 São Paulo - SPTel: (011) 5187 5100fax: (011) 5181 7013E-mail: ahkbrasil@ahkbrasil.comFilial Belo HorizonteTimbiras, 1200, sala 704Minas Trade Center30140-060 Belo Horizonte - MGTel: (031) 3213 1564Telefax: (031) 3273 9368E-mail: ahkmg@uai.com.brEscritório BlumenauHermann Hering, 0189010-600 Blumenau - SCTel.: (+55 47 3336-4515)Fax: (+55 47 3336-4784)E-mail: ahkblumenau@ahkbrasil.comEscritório BrasíliaSHS, Quadra 06, conj. A, Bl. E, Sala 1301, Asa Sul70322-915 Brasília - DFTel: (061) 3039 8282, 3039 8383fax: (061) 3039 8070E-mail: consultoria@wernerwanderer.com.brFilial CuritibaEmiliano Perneta 297, Cj. 232/23480010-050 Curitiba - PRTel: (041) 323 5958Telefax: (041) 222 0322E-mail: ahkcuritiba@ahkbrasil.com.brEscritório GoiâniaAv. Anhangüera, 544074043-010 Goiânia - GOTel: (062) 3216 0443Telefax: (062) 3216 0445E-mail: ahkgoias@fieg.org.brEscritório NatalEsplanada Silva Jardim, 04, 2° Andar, Ribeira59012-090 Natal - RNTel: (084) 222 3595Telefax: (084) 222 3595E-mail: geppert@digi.com.brMatriz Regional Porto AlegreDr. Florência Ygartua, 7090430-010 Porto Alegre - RSTel: (051) 3222 5766Telefax: (051) 3222 5556E-mail: ahkpoa@ahkpoa.com.brMatriz Regional Rio de JaneiroAv. Graça Aranha, 01, 6° andar20030-002 Rio de Janeiro - RJTel: (021) 2224 2123Telefax: (021) 2252 7758E-mail: pklam@ahk.com.brBfAI - Centro de Informação para o Comércio Exterior da República Federal da AlemanhaAlexander Hirschle, Representante em São PauloVerbo Divino, 1488, 3° andarChácara Santo Antionio04719-904 São Paulo - SPTel.: (011)5183 4293Fax: (011)5182 3693Email: bfai@terra.com.brFontes ConsultadasCentral Intelligence Agency - www.cia.govMinistério das Relações Exteriores (MRE) - www.braziltradenet.gov.brMinistério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) - www.mdic.gov.brDoblinski, Suzana, Negócio Fechado – Guia Empresarial de ViagensAcuff, Frank – Como negociar qualquer coisa Última atualização: junho/2008 Por Global21...

Canada

...para embalagem e bauxita não calcinada (minério de alumínio). Estes produtos poderiam ser afetados mais fortemente caso houvesse uma retaliação sobre eles.Segundo a CNI, ao longo dos anos 90, as relações comerciais bilaterais caracterizaram-se pela pequena e decrescente participação do mercado canadense nas pautas de exportação e importação brasileiras. Na década passada, foi tímida, a participação do Canadá nos investimentos diretos ou no processo de privatização. Os investidores canadenses no programa de desestatização se concentraram primordialmente no setor de telecomunicações. Dentre os principais produtos exportados e importados no intercâmbio comercial entre Brasil e Canadá em 2007 estão: Fonte: MDIC/SECEX   Fonte: MDIC/SECEX No período de 2006 os países que mais relacionaram-se com o Canadá foram: Fonte: Statistics Canada   Fonte: Statistics Canada O Canadá se encontra, segundo a CIA, em 11º lugar no ranking de exportadores mundiais e em 12º nas importações mundiais. Relacionamento BilateralO relacionamento bilateral entre Brasil e Canadá expandiu-se e diversificou-se significativamente durante os últimos anos, apesar de algumas disputas comerciais, demonstrando o interesse que o Canadá tem em contar com o Brasil como um dos principais parceiros na América do Sul. Relação Comercial Brasil x Canadá - Em US$ FOB   2006  Var. % 2005 Var. % 2004 Exportações 2.361.716.393 3,55 2.280.740.741 17,12 1.947.274.889 Importações 1.708.499.721 43,09 1.194.018.268 17,17 1.019.030.763 Saldo 653.216.672 -39,89 1.086.722.473 17,07 928.244.126 Corrente de Comércio 4.070.216.114 17,14 3.474.759.009 17,14 2.966.305.652 Fonte: Aliceweb   Balança Comercial Brasil - Canadá/ 2007Valores em US$ FOB Mês Exportação Importação Saldo Corrente de Comércio JAN 173.782.448 112.198.256 61.584.192 285.980.704 FEV 104.237.882 85.307.097 18.930.785 189.544.979 MAR 221.492.344 146.764.020 74.728.324 368.256.364 ABR 142.687.443 134.975.868 7.711.575 277.663.311 MAI 152.001.261 119.971.432 32.029.829 271.972.693 JUN 191.080.141 138.350.199 52.729.942 329.430.340 JUL 183.586.807 194.689.536 -11.102.729 378.276.343 AGO 234.217.529 187.439.772 46.777.757 421.657.301 SET 241.361.111 109.045.235 132.315.876 350.406.346 OUT 245.400.917 196.950.600 48.450.317 442.351.517 NOV 262.884.763 121.835.954 141.048.809 384.720.717 DEZ 208.983.747 160.971.752 48.011.995 369.955.499 Acumulado 2.361.716.393 1.708.499.721 653.216.672 4.070.216.114 Fonte: Aliceweb Como negociar com o Canadá Os hábitos culturais do cidadão de Toronto exigem que os horários sejam previamente determinados e seguidos à risca; Apesar da língua inglesa ser dominante em Toronto a cultura francesa é extremamente forte no resto da província de Ontário; Os canadenses de língua francesa são reservados e dão ênfase aos aspectos relacionados à etiqueta; Um aperto de mão firme é a maneira comum e preferida de cumprimento; Toronto é a principal e mais importante cidade canadense do ponto de vista econômico, revela um universo e oportunidades de bons negócios. Endereços úteisEmbaixada do Canadá no BrasilAv. das Nações Unidas, 12901-16º andar Centro Empresarial Nações Unidas Torre Norte, BrooklinCEP: 04578-000 São Paulo - SP - Brasil Tel.:(55-11) 5509-4343Fax.:(55-11) 5509-4262E-mail: imm@canada.org.br Embaixada da República Federativa do Brasil em Ottawa450 Wilbrod StreetOttawa, ON Canada K1N 6M8Tel. : (001+613) 237-1090 / 755-5160Fax : (001+613) 237-6144E-mail : mailbox@brasembottawa.org Site: www.brasembottawa.org Consulate of the Federative Republic of Brazil2000 Mansfield Street, Suite 1700Montreal, QC Canada H3A 3A5Tel.: (001+514) 499-0968...

Chile

...50.000 pessoas e Concepción -Talcahuano com 800.000.Junto com a mescla básica da população espanhola e indígena, existe um número importante de imigrantes de vários países europeus da segunda e terceira geração aos que estão se agregando uma nova onda de imigrantes provenientes principalmente da Ásia.O idioma oficial é o espanhol embora cerca de 2% da população fale o idioma indígena mapuche. Comércio ExteriorO Chile é uma das nações em maior crescimento no mundo devido a sua economia que, mesmo durante o regime militar do general Augusto Pinochet (1973-1990) permaneceu aberta. Porém, foi com o advento da democracia, a partir da década de 90, que o país obteve maior abertura, firmando tratados e acordos de comércio que o fortaleceram e o colocaram entre as economias mais fortes da América Latina. A balança comercial chilena vem apresentando resultados positivos desde 1999. Em 2003, a corrente de comércio cresceu 13,9% em comparação ao ano de 2002, incremento de 39,0% no saldo. Da mesma forma, as exportações alcançaram volume de venda 14,7% superior e as importações aumentaram 13,0%. Apesar da diversificada produção industrial, no Chile os produtos manufaturados são destinados apenas ao consumo interno. As exportações se concentram em matéria-prima e recursos naturais processados, essencialmente minerais. Observa-se a tendência à exportação de minerais na análise dos dez principais produtos comercializados pelo país. As vendas de cobre sobressaem-se perante outras mercadorias – a maior produtora mundial é uma estatal chilena. Consciente da dependência das vendas externas chilenas ao cobre, o governo tem procurado gerar condições e estimular o desenvolvimento de outras atividades e bens destinados ao mercado internacional. Na busca de expansão de mercados e diversificação da pauta exportadora, o Chile tem negociado acordos de comércio bilateral com vários países, entre outras ações. Quanto as importações, os maiores fornecedores, no período de janeiro a setembro de 2006 foram: Estados Unidos, Argentina, Brasil e China. A soma das vendas destes países representou 49,8% das compras chilenas. Outros parceiros importantes foram a Alemanha, Peru, Japão, Angola, França, e México. Fonte: Braziltradenet Em 2006, no período de janeiro a setembro, os maiores parceiros comerciais do Chile nas exportações foram Estados Unidos, Japão, China, Países Baixos, República da Coréia. Juntos, responderam no período p...

China

...s são acompanhadas de bebidas alcoólicas (em geral, Maotai, aguardente de cereais semelhante à vodka) e os brindes são freqüentes. Findo o jantar, ao contrário do que se passa no Ocidente, todos os convidados abandonam de imediato o local. Por isso, se tiver algo de importância a dizer, deve fazê-lo antes. Logo que a oportunidade surgir, você deverá retribuir o convite. Notas FinaisQuando seu interlocutor chinês acena repetidamente com a cabeça, não quer dizer que está de acordo, mas apenas que o ouve. Nas negociações, os Chineses buscam uma relação duradoura, e esta é pessoal.O “guanxi” é um requisito prévio para se fazer negócios na China. Se você for apresentado pela pessoa certa receberá uma recepção calorosa; se bater sozinho a uma porta, cria-se imediatamente uma distância que será posteriormente difícil de superar. Os Chineses são negociadores exímios, para quem o pensamento estratégico é uma disciplina formal: é fácil a um Ocidental deixar-se enredar pelas táticas de negociação que os Chineses utilizam com destreza.Enquanto para os Ocidentais o negócio é uma questão de intuição, na China até mesmo crianças estão familiarizadas com “Os 36 Estratagemas” ou “A Arte da Guerra”, formulados por Sun Tzu, estrategista militar que viveu no século IV AC (época dos “Reinos Combatentes”) e aplicam-nos no seu dia-a-dia. O segredo em ser bem sucedido na China está naquilo que os Chineses chamam a arte de “mascar sementes de girassol”, isto é, ter paciência para compreender e aceitar as diferenças. Os ganhos esperados poderão exceder em muito o tempo investido. Resumo do texto original com base em informações da Embaixada do Brasil em Pequim. http://www.brazil.org.cn/commercial_files/commercial_doc/Brasil-ChinaTrade.ppt Para maiores informações ler COMO EXPORTAR PARA A CHINAwww.braziltradenet.gov.br/ARQUIVOS/Publicacoes/ComoExportar/CEXChina.pdf Endereços e informações importantesEmbaixada do Brasil em Pequim 27, Guanghua Lu – Jianguomenwai - Beijing - ChinaTel: 86 - 10 - 6532-2881Fax: 86 - 10 - 6532-2751secom@brazil.org.cnwww.brazil.org.cnEmbaixador Luiz Augusto de Castro NevesChefe do SECOM: Secretário Luciano Pereira de Souza Consulado-Geral do Brasil em Xangai10-B / Qihua Tower, 1375, Huai Hai Zhong Lu, 200031, ShanghaiTel: (86 21) 6437-0117Fax: (8621) 6437-0160e-mail: braxan@shiou.cn.netContato: Chefe do Secom, Paulo Guapindaia Joppert Consulado do Brasil em Hong KongRooms 2014-21/ Sun Hung Kai Centre30, Harbour RoadWanchai, Hong KongTel: (852) 2525-7002Fax: (852) 2877-2813E-mail: consular@netvigator.com Consulado Geral da República Popular da ChinaR. Muniz Barreto, 715 - BotafogoCEP 22251-090 - Rio de Janeiro - RJTel: (0xx21) 2551-4578 Fax: (0xx21) 2551-5736Consulado Geral da República Popular da ChinaR. Estados Unidos, 1071, Jardim AméricaCEP 01427-001 - São Paulo - SPTel: (0xx11) 3082-9877Tel: (0xx11) 3082-9084 fax (0xx11) 3062-4396 Consulado-Geral do Brasil em Xangai10-B / Qihua Tower, 1375, Huai Hai Zhong Lu, 200031, ShanghaiTel: 86 - 21 - 6437-0117Fax: 86 - 21 - 6437-0160e-mail: braxan@shiou.cn.net  ou braxan@public.sta.net.cnContato: Chefe do Secom, Paulo Guapindaia Jopperte-mail: pjoppert@mre.gov.brE-mail: info@sialchina.cnSite: www.sialchina.comContato: Mr. Xu HOU   Embaixada da ChinaSES, Av. das Nações, Q. 813 - Lote 51CEP 70443-900 - Brasília - DFtel. (0xx61) 346-4436 /1880fax: (0xx61) 346-3299 chinaemb_br@mfa.gov.cnwww.embchina.org.brSetor Comercial da Embaixada em PequimTel: (8610) 6532-2881Fax: (8610) 6532-2751E-mail: secom@brazil.org.cnSetor Comercial do Consulado do Brasil em Hong KongTel: (852) 2525-7003Fax: (852) 2877-2813E-mail: secomhkg@brazilianconsulate.org.hkwww.brazilianconsulate.org.hkSetor Comercial do Consulado do Brasil em XangaiTel: (8621) 6437-0110Fax: (8621) 6437-0160E-mail: secom.xangai@shiuol.cn Fontes ConsultadasCentral Intelligence Agency - www.cia.govEmbaixada da China - http://www.brazil.org.cnMinistério das Relações Exteriores (MRE) - www.braziltradenet.gov.brMinistério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) - www.mdic.gov.br Última atualização: outubro/2007 Por Global21...

Cingapura

...lhe dá reputação de centro de alcance global. Seu porto é o principal centro de distribuição de mercadorias da Ásia. O porto de Cingapura opera o maior terminal de contêineres do mundo, com capacidade de processamento de 58 mil contêineres/dia (TEUS). As características modernas e sofisticadas do porto possibilitam manter sua posição do mais movimentado porto do mundo de acordo com sua tonelagem de embarque, tendo recebido mais de 140  mil embarcações em 2006. Possui facilidades específicas nos terminais a fim de acomodar todos os tipos de embarcações, inclusive supernavios-tanque, navios de contêineres e cargueiros. É famoso,  também, por suas rápidas facilidades de conexões e de desembaraço alfandegário anterior. O PSA,  principal operador do terminal de contêineres, continuará a desenvolver uma rede regional de logística, oferecendo em um só local serviços para companhias multinacionais  envolvidas em distribuição regional de produtos e serviços de alto valor. Organizações e acordos InternacionaisCingapura é membro ativo das Nações Unidas, da Comunidade Britânica e do Movimento dos Países Não-Alinhados. Além disso, faz parte do grupo regional ASEAN  (Association of South East Asian Nations ou Associação dos Países do Sudeste Asiático) e APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation ou Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico), além da Organização Mundial de Comércio (OMC). Principais setores de atividadeIndústria – A indústria manufatureira é o principal setor  da economia do país, destacando-se a produção de produtos  eletrônicos e seus componentes como, por exemplo, semicondutores. A indústria química e de produtos químicos também  tem apresentado um bom desempenho nos últimos anos. Os  produtos farmacêuticos têm-se beneficiado bastante da presença  de investimentos estrangeiros, particularmente de empresas européias. Já a indústria de refino de petróleo, apesar da sua importância, vem enfrentando o aumento da competição  regional, o que contribui para margens de lucro cada vez menores. Agricultura e Pesca – O setor jamais teve importância  para a economia cingapuriana: historicamente é responsável  por apenas 0,1% do PIB. A produção de algumas frutas e vegetais atende apenas ao consumo interno, assim como a indústria  pesqueira. Construção  – O  setor de construção registrou alta de 4,2% em 2006. A política do Governo de diminuir a dependência da indústria eletrônica pode alavancar novamente o desenvolvimento  do setor. Relações ComerciaisSegundo dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, em 2006, o intercâmbio Brasil-Cingapura foi de US$ 2,13 bilhões,  mais de duas vezes o valor registrado em 2004. Com exportações de US$ 944 milhões e importações de US$ 1,19 bilhões, houve déficit de US$ 245 milhões para o Brasil. Embora esse tenha sido o maior saldo negativo já registrado em valores absolutos, não é possível  estabelecer-se tendência em relação ao resultado da balança bilateral, uma vez que déficits e superávits se alternaram com muita freqüência nos últimos dez anos. O certo é que o comércio  total está em plena expansão. O comércio bilateral Brasil-Cingapura evoluiu significativamente  no quinqüênio 2002 - 2006. As exportações brasileiras, que em 2006 alcançaram US$ 943,2 milhões, registraram crescimento de mais de 100% em relação a 2002 quando atingiram US$ 469,3 milhões, muito embora o ano de 2003 tenha  apresentado uma queda de 28% em relação ao ano anterior. Cabe ainda ressaltar que, em 2002, as exportações brasileiras já haviam registrado um forte crescimento de 119% em relação a 2001, quando as exportações montavam em US$ 213,4 milhões. Já as importações apresentaram evolução ainda mais  considerável, passando de US$ 311,9 milhões, em 2002, para  US$ 1188,1 milhões, em 2006, representando um aumento  de 281%. Balança Comercial Brasil - Cingapura / 2006Valores em US$ FOB Mês Exportação Importação Saldo Corrente de Comércio JAN 80.286.028 122.742.747 -42.456.719 203.028.775 FEV 86.065.311 86.104.346 -39.035 172.169.657 MAR 76.723.256 126.660.200 -49.936.944 203.383.456 ABR 104.690.699 96.229.575 8.461.124 200.920.274 MAI 60.026.421 74.122.162 -14.095.741 134.148.583 JUN 105.133.999 71.228.390 33.905.609 176.362.389 JUL 85.648.261 110.450.251 -24.801.990 196.098.512 AGO 77.280.420 119.347.510 -42.067.090 196.627.930 SET 86.384.381 99.006.262 -12.621.881 185.390.643 OUT 35.791.911 119.352.141 -83.560.230 155.144.052 NOV 53.635.749 98.027.805 -44.392.056 151.663.554 DEZ 93.105.691 64.863.128 28.242.563 157.968.819 Acumulado 944.772...

E.U.A.

...de fogo e munições Bebidas alcoólicas Brinquedos e artigos para crianças Carnes e produtos de carne Frutas e nozes Leite e derivados (laticínios, queijos, etc.) Materiais inflamáveis, tóxicos ou perigosos Medicamentos em geral Obras artísticas e bens culturais Petróleo e seus derivados Plantas, hortaliças e produtos de origem vegetal Utensílios domésticos Tais classes de produtos devem se submeter às regulamentações das diferentes agências governamentais, sendo as principais: Food and Drug Administration (FDA) Bureau of Alcohol, Tobacco and Firearms Animal and Plant Health Inspection Service (APHIS) US Fish and Wildlife Service US Consumer Product Safety Commission Federal Trade Commission (FTC) Office of Codes and Standards, Department of Energy Environmental Protection Agency (EPA) A Alfândega é a agência responsável pela avaliação e o recolhimento de impostos das mercadorias estrangeiras, bem como pelo combate ao contrabando e à fraude. O chefe da agência fica em Washington D.C., e tem o título de Comissário (Commissioner), e em cada porto de entrada existe um Diretor do Porto.As mercadorias que entram nos Estados Unidos estão sujeitas à inspeção física por um agente do Serviço de Alfândega. O agente examina a fatura comercial para aferir a qualidade, quantidade e o valor das mercadorias; para conferir a correção do nome do país de origem e da classificação das mercadorias conforme a Nomenclatura Tarifária Harmonizada dos Estados Unidos (Harmonized Tariff Schedules of the United States – HTSUS); e para verificar se o importador pagou ou irá pagar o valor correto de impostos. A HTSUS é uma publicação da US International Trade Commission (USITC), em que se encontra a classificação das mercadorias importadas, as alíquotas de importação e os benefícios e restrições que afetam cada produto. Se o importador ou o consignatário discordar da classificação, valor ou qualquer outro aspecto do processo de liberação das mercadorias, ele pode impugnar a decisão da Alfândega, até 90 dias depois do encerramento do processo, por meio de um protesto. Se o protesto for negado pela Alfândega, o importador pode ajuizar uma ação, através de um advogado, na Corte Americana para Negócios Internacionais (United States Court of International Trade). Com o intuito de evitar tais conflitos, o importador pode submeter previamente à Alfândega um Requerimento para Decisão (Ruling Requesrt), que, todavia, o precluirá de futura discussão. Além das tarifas de importação, os produtos importados pelos EUA sofrem a incidência de outras taxas, como a de manutenção portuária (Harbour Maintenance Fee – HMF) e a de processamento de mercadoria (Merchandise Processing Fee – MPF). Essas taxas recaem sobre todos os produtos importados do Brasil. Atualmente, a alíquota da MPF é de 0,21%, com um valor máximo de US$ 485 e mínimo de US$ 25, ao passo que a HMF, aplicada em todos os portos dos EUA sobre importações, exportações e cargas domésticas, é de 0,125%.A não-observância dos procedimentos estipulados ou o descumprimento das exigências da Alfândega podem resultar desde a apreensão das mercadorias importadas e/ou a imposição de multas ao importador até o valor das mercadorias. Fonte: Como Exportar para os Estados Unidos - AMCHAM Endereços úteisEmbaixada dos EUA em BrasíliaSES - Av. das Nações, Quadra 801, Lote 03CEP: 70403-900 - Brasília, DFTel: (61) 3312-7000Fax: (61) 3225-9136 Embaixada do Brasil em Washington, DC3006 Massachusetts Avenue, NW Washington, DC 20008-3634 Tel: : (202) 238-2700 Fax: (202) 238-2827 Site: www.brasilemb.org  Embaixada do Brasil – Setor Consular3009 Whitehaven Street, N.W. Washington , D.C. 20008-3634 Tel: (202) 238-2828 Fax: (202) 238-2818 E-mail: consular@brasilemb.org Consulado Geral dos Estados Unidos em São PauloHenri Dunant, 500,Chácara Santo Antônio,CEP: 04709-110 - São Paulo- SP Tel: (11) 5186-7000Fax: (11) 5186-7199 Consulado Geral dos Estados Unidos  em RecifeGonçalves Maia, 163Boa Vista - Recife, PECEP: 50070-060 Tel: (81) 3421-2441Fax: (81) 3231-1906 Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de JaneiroAv. Presidente Wilson, 147Castelo - Rio de Janeiro, RJCEP: 20030-020 Tel: (21) 3823-2000Fax: (21) 3823-2003 Departamento de Comércio Exterior – São PauloEstados Unidos, 1812CEP: 01427-002 - São Paulo, SPTel: (XX-11) 3085-2811Fax: (XX-11) 3085-2744 Departamento de Comércio Exterior – Belo HorizonteTimbiras, 1200, 7º andarCEP: 30140-060 - Belo Horizonte, MGTel: (XX-31) 3213-1571Fax: (XX-31) 3213-1575 Agência Consular – BelémEdifício Síntese, 21 Avenida Conselheiro Furtado, 286566060-600 - Belém, PATel: (XX-91) 3259-4566Fax: (XX-91) 3259-2626Agência Consular – FortalezaInstituto Brasil-Estados Unidos - IBEURua Nogueira Acioly, 891 - Aldeota60110-141 - Fortaleza, CETel: (XX-85) 252-1539Fax: (XX-85) 252-1539Agência Consular – ManausEdifício Atrium Sala 306Rua Franco de Sá, 31069079-210 Manaus, AMTel/Fax 55-92-611-3333Agência Consular – Porto AlegreAgência Consular Americanaa/c Instituto Cultural Brasileiro Norte AmericanoRua Riachuelo, 1257, Centro90010-010 - Porto Alegre, RSTel: (XX-51) 225-225/226-3344Fax: (XX-51) 226-3344Agência Consular – SalvadorPernambuco, 51 - Pituba41830-390 - Salvador, BATel: (XX-71) 345-1545Fax: (XX-71) 345-1550E-mail: amcon@svn.com.brCâmara Americana de Comércio de São PauloRua da Paz 1431 CEP 04713-001 - São Paulo SP  Tel:  (XX 11) 3011-6000Fax: (XX 11) 3011-6000 Câmara de Comércio Americana de BrasíliaSCN Qd 1 BI “C”Ed. Brasília TradeCenter Salas 1102 á 1105Cep: 70711-902Brasília - DFTel.: (61) 2103-8650Fax: (61) 2103-8658 Email: amcham.brasilia@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de Belo HorizonteRua Da Paisagem 220Cep: 34000-000Cidade Nova Lima - MGTel.: (31) 2126-9750Fax: (31) 2126-9767Email: amchambh@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de CampinasAv. José de Souza Campos, 900 Sala 82Condomínio Trade TowerCep: 13092-110 Tel./Fax: (19) 2104-1250Email: campinas@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de  CuritibaRua Eurípedes Garcez do Nascimento, 1004CEP 80540-280 Curitiba - PRTel.: (41) 2104-9350Fax: (41) 2104-9368Email: amchamctba@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de  GoiâniaAv. T-63 Monte Líbano Center Sala 220Cep: 74230-100Setor Bueno - Goiânia GOTel.: (62) 4006-1150Fax: (62) 4006-1153Email: amcham.goiania@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de Porto AlegreAv. Mostardeiro 322 11º andarCep. 90430-000 Porto Alegre - RS Tel./Fax: (51) 2123-8999Email: amchampoa@amcham.com.br Câmara de Comércio Americana de RecifeRua das Pernambucanas 407 Salas 603/604/605/606Cep: 52011-010 Recife - PETel.: (81) 2101-7450Fax: (81) 2101-7455Email: amchamrec@amcham.com.br  Fontes ConsultadasAMCHAM – Câmara de Comércio AmericanaCentral Intelligence Agency - www.cia.govMinistério das Relações Exteriores (MRE) - www.braziltradenet.gov.brMinistério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) - www.mdic.gov.brInstituto Español de Comercio Exterior – www.icex.esDoblinski, Suzana, Negócio Fechado – Guia Empresarial de Viagens Última atualização: outubro/2007 Por Global21...

França

França Nome Oficial República Francesa

Arabia Saudita

...Shari’a Islâmica, composta do Alcorão e da Sunna (Hadijh), que contém práticas e ensinamentos do Profeta Maomé e que teria sido escrita depois de sua migração para Medina. A legislação - Decretos Reais e Regulamentos do Conselho de Ministros - são derivadas da Shari’a. Em 1992, foi promulgada uma Lei Básica, que levou à uniformização das decisões judiciais, antes orientadas por quatro distintas escolas do pensamento islâmico e que variavam de região para região. O titular do Reino é o Rei Fahd Ibn Abdulaziz, Guardião das duas Mesquitas Sagradas, que acumula os poderes de Primeiro Ministro de um Conselho de Ministros por ele nomeado. Neste Conselho, o Príncipe Herdeiro Abdullah Ibn Abdulaziz é o Primeiro Assistente, enquanto o Príncipe Sultan Ibn Abdulaziz, é o Segundo Assistente. Em 1993, com a promulgação da Lei Básica, foi criado um Conselho Consultivo com 120 membros e um Presidente. Mas o poder executivo e legislativo é centrado no Rei, não havendo partidos políticos no país. A capital nacional é em Riyadh, um antigo oásis, e o país se divide em 13 Regiões Administrativas, tendo cada uma seu Governador, com status de Ministro, reportando-se ao Ministro do Interior.A data nacional saudita é o dia da Constituição Formal do Reino: 23 de setembro.A religião oficial e predominante é o Islamismo. A língua oficial é o árabe, mas o inglês é usual nos ambientes de negócios.Comércio Exterior Balança Comercial Brasil - Arábia - Saudita 2006Valores em US$ FOB Mês Exportação Importação Saldo Corrente de Comércio JAN 94.009.958 108.525.799 -14.515.841 202.535.757 FEV 66.317.303 131.184.755 -64.867.452 197.502.058 MAR 127.731.467 109.940.088 17.791.379 237.671.555 ABR 128.382.857 126.104.782 2.278.075 254.487.639 MAI 148.483.566 168.812.710 -20.329.144 317.296.276 JUN 97.472.384 23.176.998 74.295.386 120.649.382 JUL 14...

Cotações e Mercados

Conversor de Moedas Dólar Comercial - Gráfico Atu

Pesquisa de Mercado

A SIMPEX possui uma base de dados com informações
A Empresa | Serviços | Simpex-Net | Informações Importantes | Programação Portos | Links Úteis | Pesquise | Contate-nos

MATRIZ RS:

São Leopoldo - RS - Brasil
Telefone (55 51) 3272-0555 - Fax (55 51) 3272-0550 

UNIDADE SC:

Florianópolis - SC - Brasil
Telefone/Fax (48) 3029-3866



(c) 2013 - By Simpex
PHP Warning: mysql_fetch_array(): supplied argument is not a valid MySQL result resource in E:\Sites\LocalUser\ftpsimpexcombr\2006\general_scripts\mysql_functions.php on line 53